segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

(5 de janeiro) Evaristo Alvarenga

Este nome recorda-nos um moço que se fez unicamente pelo seu trabalho, pela sua constância no cumprimento dos deveres, pela sua inteligência pouco vulgar. Ainda menino ele veio de Perdões, sua terra natal, empregar-se no comércio de Lavras, e por espaço de anos com um ordenado reduzido, auxiliou eficazmente sua família, economizando ele para si o mais possível e sentindo-se contente de servir àqueles que então lhe eram os mais queridos. Quem na infância deu tão belo exemplo de amor filial, na mocidade viria a ser, como ele o foi, chefe de família carinhoso, inexcedível no amor aos filhos. 

Por outro lado, era Evaristo Alvarenga um espírito liberal e patriota, que se interessava muito pela causa pública. Foi solícito e correto no desempenho de vários cargos, que tanto o povo como o governo lhe confiaram. Na luta pelos seus ideais políticos, ele se mostrou ardoroso, confiante e incansável: por isso era ingente o seu trabalho nas eleições, sobre tudo nas municipais, por isso ele chegava nessas horas a se esquecer dos interesses particulares para cuidar somente do triunfo de suas idéias.

Foi o distinto perdoense um homem útil a esta cidade: ele não se fechou no egoísmo, mas abriu-se em esforços pelo bem de nossa terra. Sua vida, porém, foi breve, e quando melhores serviços podia dar a Lavras, veio a morte buscá-lo em 6 [sic] de janeiro de 1901. 

 --//-- 

Autor: Firmino Costa, Vida Escolar, n. 18.

Nenhum comentário:

Postar um comentário