segunda-feira, 21 de setembro de 2015

(21 de setembro) Doutor José Esteves

Para comemorar esta data com enorme saudade transladamos alguns trechos da notícia que escrevemos há três anos:

Bem poucas vezes sentiu esta cidade tão grande abalo como o que lhe causou a morte do dr. José Esteves de Andrade Botelho. Era de razão que assim fosse: a esse distinto lavrense consagrava o povo uma estima tão grande quanto sincera. O dr. José Esteves conquistara essa estima com a sua vida prestimosa, com sua bondade constante, com a sua adorável modéstia, com o seu amor.

Foi ele um chefe de família inexcedível no cumprimento do dever e cuidou sempre da educação e da instrução de seus filhos. Com os amigos era ele em extremo dedicado, esquecendo-se muitas vezes de si próprio para servir a uns e a outros.

Como médico altamente considerado dos colegas pela sua proficiência e por seu talento, era de ver com que solicitude, desinteresse e escrúpulo tratava os doentes, fossem ricos ou pobres, ansioso de lhes dar um lenitivo às dores, um conforto à esperança.

Exerceu o dr. José Esteves vários cargos públicos. Lembra-nos muito quando ele foi agente executivo distrital. Bastava assistir às sessões do Conselho para ver quanto o dr. José Esteves era zeloso do bem público. Naquela corporação, composta de três membros, ele não deixava que se tomassem as menores deliberações sem o necessário estudo e reflexão. Para ele o Conselho Distrital era coisa tão séria como o Senado da República. Seu patriotismo e seu caráter não podiam entender de outra forma: o bem público era coisa sagrada para ele.

Homens deste valor, que possuem em alto grau tão grande cópia de virtudes, são raríssimos, e de ver está que se hão de impor à veneração do povo! Estas palavras de Manuel Bernardes como que foram traçadas para o dr. José Esteves: “Quem pode exercitar a doçura de espírito no meio das dores, a generosidade no meio das fraquezas, a paz no meio das contradições, este é mais que perfeito. Não há coisa que mais edifique, que a mansidão caritativa; nela, como no azeite da lâmpada, vive e se nutre a chama do bom exemplo”.

O dr. José Esteves nasceu nesta cidade em 18 de abril de 1855, formou-se em medicina no ano de 1879, e faleceu às seis horas da manhã do dia 21 de setembro de 1904.

--//--

Autor: Firmino Costa, Vida Escolar, n. 11.

Nenhum comentário:

Postar um comentário